Devia ser, sei lá... talvez uma terça-feira quando eu entrei nas Lojas Americanas da minha cidade pequena para comprar uma caixa de copos para minha casa nova e me perdi na seção de livros, procurando alguma coisa que me chamasse atenção. Confesso que fui no tédio, pois estava esperando minha encomenda com mais alguns exemplares chegarem, mas ainda bem que minha personalidade consumidora de livros falou mais alto!



A capa foi a primeira coisa que me chamou atenção, e não me venha com aquele discurso de “quem vê cara não vê coração” porque eu sei que todo mundo é assim também. Pois bem, encantada com a capa, dei uma chance ao enredo e decidi abrir mão dos meus preciosos R$ 29.90, cheia de esperança com as novas possibilidades de uma nova leitura não planejada! 



“Um De Nós Está Mentindo”, escrito por Karen M. McManus é um livreto de um palmo de altura e dois dedos gordinhos de espessura, apresenta uma ideia criativa e cativante, personagens fortes e muito bem descritos, entretanto, a resolução do conflito deixou um pouco a desejar e isso pesou muito na minha opinião geral do livro, uma vez que foi a primeira vez que eu tive contato com uma história caracterizada pelo mistério, suspense e é claro, romance.



A história se passa no Estado da California, numa cidade perto de San Diego chamada Bayview, aonde cinco adolescentes com personalidades marcantes e bem individuais são colocados juntos em uma sala de detenção por carregarem seus celulares nas mochilas e serem descobertos. Tem um lance bem forte de fobia telefônica rolando por parte da coordenação da escola e isso é bem grave. Bizarro, né? Credo. 



Bem, vamos partir do princípio: após tomar um gole de água em um copo supostamente envenenado com óleo de amendoim, Simon, dono de um Tumblr de fofocas do colégio, morre em meio a uma crise alérgica causada pelo que foi mais tarde descoberto ser amendoim, e os outros quatro adolescentes que se encontravam na sala de aula junto com ele são acusados de assassinato, e é aí que toda a investigação começa.



Simon era um nerd que, de alguma maneira misteriosa, tinha acesso a todas as informações sobre todas as pessoas do colégio, e não temia nada ao postar essas informações comprometedoras no blog e esperar pelo circo cheirar a fumaça enquanto pega fogo. Ao que parece, todos temos segredos a esconder, certo? Ninguém é um anjo e as aparências podem enganar, e é exatamente isso que o livro expõe. Dos cinco adolescentes que estavam presentes na sala, um morreu, e os outros quatro estão na próxima fofoca do Falando Nisso, blog do Colégio Bayview comandado por Simon, portanto, existem aparentemente quatro motivos mais que plausíveis para ocasionar na morte do blogueiro, basta descobrir quem foi, e porquê. Uma dica? Um deles está mentindo. Seu desafio: ligar os pontos.



Pobre Simon... ou não tão pobre assim.



Bronwyn era a gênia do quarteto assassino, o cérebro da operação, filha de pais ricos, com uma irmã que está se recuperando do câncer, fazia tudo o que podia - e o que não podia - para entrar em Yale, correspondendo aos sonhos de seus pais e aos dela própria. Talvez roubar os testes de química para obter boas notas e passar para a universidade desejada era uma ideia bem mais tranquila do que assassinar um colega de classe que colocaria toda sua reputação a perder ao liberar essa informação para todos, inclusindo o clube doscente. Ou talvez ela não ligasse para isso e faria os dois.



Nate era o criminoso, o traficante de drogas, pertencente a uma família perturbada composta por um pai alcoólatra e mãe com um provável diagnóstico de esquizofrenia que fugiu, deixando o filho pensar que a mesma estava morta. Nate, de personalidade agressiva, passando por um período probatório, que estava sob condicional, continuava a traficar e Simon sabia disso. Estava escrito para todos lerem naquele post maldito. Um tecla pressionada, e a informação faria Nate voltar para a cadeia. Será que é pressão suficiente para assassinar alguém inocente ou a culpa só vai cair em cima dele porque é o alvo mais provável? 



Addy, a rainha do baile de primavera por fora e escrava de seu namorado Jake por fora também. Fazia de tudo por seu namorado e se deixava ser controlada por ele. Cabelo curto? Nem pensar, Jake gostava dele longo. Roupas confortáveis e conservadoras? Não senhora, Jake gostava de exibir para todos o quão bela sua namorada era. Vestido curto de líder de torcida enquanto senta no colo do namorado? Pode apostar que era disso que ele gostava, e se Jake gosta, sua marionete também gosta. Mas até a rainha do baile tem algo a esconder, principalmente do seu rei acompanhante. Aposto que a descoberta de uma traição através de um Blog deixaria o amor da sua vida bravo, principalmente se fosse com um de seus melhores amigos. Me diz você.



Cooper, astro do Beisebol, orgulho do papai e de toda a escola, gentil, galanteador, cara mais sortudo do colégio por namorar com a menina mais cobiçada. Adjetivos que não seriam sequer necessários para cativar os olhos e ouvidos de quem ouve falar do Coop, pois gostar desse cara mesmo se ele fosse um cuzão seria  moleza! Todos o amam, mas Cooper não ama a todos. Somente um. E um segredo? Não é a sua namorada. Uma reputação a perder por causa de uma fofoca sem fundamento no blog da escola seria motivação para um assassinato? Depende do quanto você teme à opinião alheia.



Agora eis o dever de casa: liguem os pontos. Será que está todo mundo mancomunado ou alguém está no controle? Quem é o manipulador e quem são as marionetes?

Vou dar uma pista para vocês começarem: todo mundo está mentindo.



Valendo!



3 Comentários

  1. Oiiieee


    Esse livro é muito bom, eu adorei as reviravoltas da trama e o final foi tão imprevisível que OMG, como não adorar? Quero muito ler outros da autora, ela está de livro novo, espero que publiquem por aqui.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oi!!
    Tô de olho nesse livro há um tempão e ainda não peguei, acredita?
    Coitada da Addy, viu? Fantochezinho do namorado :/
    Pena que não foi tãaao bom assim o final pra você. Amei as fotos!!
    Nerd Fox

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu realmente não esperaria nada de um livro comprado na Americanas. Preconceito bobo, eu sei.
    Mas a tua resenha me deu muita vontade de ler, apesar do ponto negativo do desfecho que você menciona. Parece ser daqueles livros que cativam e que embora decepcionam no final, valeu a pena ter chegado até ali.
    Recentemente reditei um post que falava sobre capas, primeiras impressões e preconceitos. Preciso rever esses meus conceitos e vou buscar esse livro aí nas Americanas.
    Adorei o blog. Abraços. :)

    www.cafecommetafora.blogspot.com

    ResponderExcluir