"Por Lugares Incríveis" by Jennifer Niven

15:49:00



Não faço a menor ideia de como começar a falar sobre esse livro sem me arrepiar e querer chorar tudo de novo. 
Sabe quando escolhemos um livro sem nem olhar para a sinopse ou para a capa, e simplesmente cruzamos os dedos para que tenha sido uma boa escolha? 
Acho que nunca escolhi tão bem em toda a minha vida. 

[...]
Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver. Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.
[...]

Temos nesse livro um tema tabu que vem sido explorado em várias outras obras, o que é muito importante: o suicídio. Colocado de uma forma mais "leve" e dramatizada, talvez, mas incrivelmente real e cru. 

Logo no início do livro eu já percebi que seria completamente entregue à história e aos seus personagens surreais. Temos capítulos que alternam o ponto de vista entre Theodore Finch e Violet Markey, novos amigos e futuros amantes que se conhecem da maneira mais improvável possível - um salvou ao outro do suicídio certo na torre do sino da escola.

Finch sempre foi conhecido pelos colegas da escola como "Aberração", e é de longe um dos personagens mais maravilhosos que já vi. Ele não se preocupa em pensar antes de fazer o que der vontade, e sempre muda sua personalidade para determinada época ou vontade diferente. Temos Finch dos anos 90, Finch fodão, Finch de todos os tipos. Todos os Finches são imperdíveis.

O que ninguém sabia, no entanto, era sobre os Apagões que tinha de vez em quando - sem um motivo aparente, ele simplesmente apagava e demorava para voltar ao normal. Seu quarto jorra personalidade, onde ele utiliza suas paredes para colar nelas anotações sobre qualquer coisa: coisas que lhe fazem bem, inspirações para músicas, palavras que ele acha interessante, a pergunta de "Será que é um dia bom?". 

No final do livro, a autora explica todo o processo de como ela se inspirou e porque optou por um tema tão pesado assim, o que me deixou arrepiada e prolongou minhas lágrimas um pouco mais. O jeito que ela teceu a história foi genial. Ela explica que foi seu livro mais pessoal de todos os que já publicou, e vale muito a pena conhecer de perto seu trabalho. 

Volto a dizer que Jennifer Niven foi genial ao mesclar as personalidades dos personagens, fazendo brotar aos poucos um romance nem um pouco convencional: por que Violet Markey se apaixonaria pelo Aberração, afinal de contas? Ninguém esperava que eles tivessem tanta coisa em comum. Nem eles esperavam.

Todos na escola a conheciam, e, no dia do incidente da torre do sino, acreditaram que a garota tinha simplesmente subido lá para impedir que Finch se jogasse e se despedaçasse de uma vez. 
Violet é uma garota linda aspirante a escritora que perdeu sua irmã mais velha, Eleanor, para um acidente de carro. Ninguém no mundo era tão importante para ela quanto a irmã, por isso a perda a derrubou de uma maneira que ela simplesmente prefiria evitar tudo o que um dia a conectava - incluindo então, a escrita, o que a deixou bastante perdida por um tempo. 

Quando os dois são colocados no mesmo trabalho de geografia, as coisas começam a ficar interessantes de verdade. Seu objetivo era descobrir lugares históricos e importantes de seu Estado, Indiana, e com isso fazer anotações, fotografar e apresentar para toda a turma depois. A proposta era de escolher no mínimo dois lugares, mas Finch não perderia essa chance de viajar por aí com uma garota bonita por nada. 

Finch decide que ele e sua "Ultravioleta Markante" farão "Andanças" pelos lugares mais inusitados e desconhecidos, onde vão se conhecendo e se amando à sua maneira. Fizeram algumas regras para seguir em todas as suas viagens, e logo me vi morrendo de vontade de participar de todas elas com os dois. Em diálogos muito inteligentes e divertidos, os dois se descobrem apaixonados por muitas coisas em comum e não demora muito para que admitem estar apaixonados entre si também.

O livro conta com frases bastante profundas e vários elementos me lembraram de "Cidades de Papel", obra do John Green. Para quem gostou da história de John, sem dúvidas vai gostar dessa. 
Quando Finch decide se afastar repentinamente, cabe a Ultravioleta Markante preocupar-se e sentir a necessidade de procurá-lo por todos os lugares. Quando ela se lembra de um lugar que os marcou em especial, preferiu que não tivesse tido o raciocínio para encontrá-lo lá. 

No que diz respeito aos personagens secundários, as famílias dos dois tem um papel importante: principalmente a de Finch, que nos dá uma ideia dos motivos que o levaram a sentir-se daquela maneira. Amigos e colegas dos dois também são apresentados ao longo da obra, e todos foram curiosamente bem construídos. 

Não existe nada sobre a história que eu não tenha gostado - o final é terrivelmente triste, mas inevitável. Em nenhum momento a obra deixou de ser bela, muitíssimo bem detalhada e ela flui muito fácil. Li o livro em menos de 2 dias, desesperada para absorver tudo.

Finch sempre lutou contra estereótipos e contra ser classificado em um único "setor", por assim dizer, o que é um dos motivos para eu acreditar que ele é um dos melhores personagens já criados. Sonhador, lutando contra seu próprio ser, despreocupado com opiniões alheias. Com certeza, está em busca do final daquele buraco negro até agora. 

You Might Also Like

11 comentários

  1. Olá Carol!
    Nossa, deu vontade de ler, apesar de ser triste... Quando eu estiver nesse vibe, vou ler.
    bjs

    Amor por Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Carolina, tudo bem?

    Faz um tempo que estou namorando esse livro pela capa, mas não conhecia a história e nem tinha lido a premissa. Saber que o livro trata do tabu do suícidio já me deixa mais interessada e ansiosa para lê-lo!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
  3. E aí parça, beleza? ahahahaha
    Cara, não sabia que esse livro se tratava de suicidio. sério, quero ler ele há muuito tempo, mas nunca tinha pegado a sinopse pra ler com seriedade sabe?
    ahaha enfim..parece muito bom e gosto de livros que tratam coisas sérias assim. nos faz pensar.

    beeijão :_)
    http://www.carolhermanas.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Uau, adorei sua resenha.
    Tem tempo já que quero ler esse livro, e sua resenha só me motivou ainda mais, realmente incrível!
    Adorei o blog, e já estou seguindo <3
    Beijos

    http://leituravorazblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu fico tão feliz quando vejo tantos comentários positivos sobre esse livro... Infelizmente não foi um livro que me tocou tanto quanto tocou você, mas que vale a pena a leitura.

    Obrigada a visita em meu blog. <3 Já estou te acompanhando! Adorei.
    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
  6. Olaa
    Nunca li esse livro mas me interessei MUITO. Gosto de livros que tratam de assuntos "polemicos" dessa forma casual .
    Eu gostei muito de cidades de papel e toda tematica que o tio Jão Verde criou , mas fiquei com uma impressão de leve que Finch não termina muito bem nesse livro :x Preciso urgentemente ler esse livro haha
    Beijooo
    Blog: www.estacaonoventae7.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi! Este livro é um dos mais belos e tristes que já li, não vejo a hora de conferir a adaptação para as telonas. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Oi! Estava com o livro na estante, comecei a leitura e senti que naquele momento não estava com a mente preparada para leitura. Como você, também quero absorver a história e entender o que a autora quis passar. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Queria muito ter lido esse livro em 2016, mas como não deu, pretendo ler em 2017. Amei a resenha! <3

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  10. Eitaaaa! Final terrivelmente triste, já vou separar os lecinhos!! Estou querendo esse livro desde o ano passado, acho que vou gostar bastante!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Que história diferente, realmente fiquei curiosa sobre ela, ainda mais quando você mencionou que se emocionou, deve ser um livro bem intenso. Com certeza irei conferir se tiver a oportunidade, adorei mesmo sua resenha!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images