"Mentirosos" by E. Lockhart

07:03:00



Sempre existe aquele livro que temos curiosidade de ler, mas acabamos deixando para depois.
Sempre para depois. 
Sem um motivo específico, mas ele sempre está ali. 
E então, você finalmente o tem em mãos para lê-lo de fato.

E é arrebatado com uma das melhores histórias de todas. 

Mentirosos foi um livro que sempre foi muitíssimo bem avaliado tanto por blogueiros e apaixonados por literatura quanto por escritores e afins. A história é escrita de uma maneira crua e direta, onde reviravoltas desenvolvem-se ao longo da trama. Até hoje, não encontrei críticas negativas a seu respeito e esse foi um dos principais motivos de alimentar a curiosidade de contemplar essa obra prima.
Não esperava que fosse esse suspense ou "thriller psicológico" tão intenso.

Não me arrependo nem por um único segundo. 

[...] 
"Somos Sinclair. 
Ninguém é carente. 
Ninguém erra.
Vivemos, pelo menos durante o verão, 
em uma ilha particular.
Talvez isso seja tudo que você precisa saber a nosso respeito".
[...]



Narrada por Cadence, conhecemos de perto o impecável mundo da família Sinclair, onde os pais tiveram três belas filhas loiras e perfeitas em todos os sentidos possíveis e imagináveis e o dinheiro está longe de ser um problema. Eles não aceitam não como resposta e valorizam o poder acima de (praticamente) tudo no mundo.  

Cada personagem foi muito bem construído e o livro nos mostra o que o amor e o poder da amizade na juventude é capaz de fazer, onde nem tudo aquilo que parece perfeito na verdade é. 
Os capítulos da história são no geral curtos (apesar de ter vários) e a leitura é bastante dinâmica, onde Cady conta sobre seu acidente na ilha e suas dores e agonias constantes depois de tudo o que aconteceu. 

Parece um grande clichê, pensar que é uma história onde o dinheiro e o poder no fim das contas não significam nada se o que você for por dentro for uma droga, mas não é bem assim. Ou, talvez seja, mas vale cada virada de página. 

Contando sobre todos os seus verões na ilha de Beechwood, pertencente aos avós, Cady nos apresenta aos seus primos Johnny e Mirren, e o mais novo companheiro deles, Gat.
Gat é um amigo de Johnny que começou a frequentar a ilha com eles logo depois da mãe de Johnny começar a namorar seu tio, Ed. 

E, assim que Cady viu Gat, seu Gat, sabia que poderia fazer aquilo para sempre. E, depois que ele correu atrás dela, seguido por Johnny, que era seguido por Mirren, tínhamos algo grandioso sendo criado ali. 

Os Mentirosos. As melhores pessoas de todos os tempos. 

Mirren é açúcar, curiosidade e chuva.
Johnny é estalo, iniciativa e sarcasmo. 
Gat, seu Gat, é contemplação e entusiasmo, ambição e café forte.

Nossos personagens são sonhadores e engraçados, com um senso crítico incrível e um humor de tirar o fôlego. A família é grande, com vários golden retrievers igualmente loiros e sofisticados.

Esse livro está repleto de frases de efeito, aquelas perfeitas para nos fazer refletir e que honestamente causam arrepios. Como sou fã de coisas desse tipo, fui levada de uma maneira na história que acabei terminando-o no mesmo dia em que comecei. 
A amizade entre eles é uma das maiores e mais belas que já presenciei em livros, onde as sensações boas descritas por Cadence me lembraram de Charlie, de As Vantagens de Ser Invisível, quando se sentia infinito junto de sua própria "panela". 

Ser jovem e apaixonada, rica, bela e inteligente, junto de amigos incríveis em uma ilha que um dia poderá ser sua.
O que poderia dar errado? 
Tudo. 
Literalmente,
tudo. 

No começo, fiquei um pouco perdida graças à quantidade de personagens e lugares, mas aos poucos tudo vai se encaixando e fazendo sentido. O final não era nada com o que eu esperava que podia ser, o que deixou tudo ainda mais nauseante. 

Depois do acidente onde Cady se encontrou encharcada e hipotérmica na beira da praia, sozinha, e com sinais óbvios de que havia sofrido uma grande pancada na cabeça, sua memória foi alterada e tudo o que aconteceu antes e depois do acidente naquele verão foi esquecido. 

Foi depois disso que ela se viu determinada a descobrir o que tinha acontecido e porque todos em sua família não falavam a respeito de nada com ela. E, quando descobre o que havia feito, o que haviam feito, todos os seus Mentirosos ao seu lado, o livro chega ao final com um desfecho trágico, real e cru.

Mais um livro recomendado para quem gosta de chorar desesperadamente.

A vontade de descobrir o que foi de tão terrível que os Mentirosos fizeram e porque todos comportavam-se de maneira tão diferente é grandíssima e acredito que não existe melhor maneira de demonstrar tudo isso, além do jeito que E. Lockhart fez. É de tirar o fôlego, em todos os sentidos.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Suas resenhas me deixam cada vez mais animadas! Se quero uma indicação ou talvez uma confirmação da vontade de ler algum tíulo é pra cá que eu venho (é pro wpp que eu vou) ❤ Maravilhoso, as always!

    ResponderExcluir

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images